sexta-feira, 25 de junho de 2010

LOJA GOSPEL

Cada demanda por projeto é uma conquista e uma oportunidade de crescimento.

Neste caso, o ponto focal do trabalho consistia em resolver questões totalmentes distintas: criar um espaço para produtos evangélicos e outro interligado, para roupas íntimas.


Corte perspectivado mostrando interior da loja gospel




Ana Cunha Araújo

segunda-feira, 24 de maio de 2010

UMA FAMÍLIA, DOIS SONHOS… Projeto Arquitetonico de Residencia Multifamiliar

Duas residencias em um mesmo terreno.


Um fato muito comum na região amazônica é a multiplicação dentro da família. Os pais geram seus filhos, que quando crescem, casam-se e tem os seus filhos, a segunda geração. E qual é a diferença em relação às outras regiões do Brasil? É que nesta região ainda encontramos terra disponível dentro dos imóveis para produzir também a habitação da nova família.

Vista Frontal - mostrando as duas residencias, projetadas para o mesmo imóvel.



O projeto em questão apresenta exatamente uma situação dessas: D. Olinda e Sr. Timóteo geraram Everaldo, que casou com Bruna. Dessa união nasceram Brendha e Bianca. Agora eles vão morar em casas separadas, mas dentro do mesmo lote.



Corte.


D. Olinda, hoje viúva, precisava de um local digno para morar com sua filha e dois netos. Essa casa precisaria ter sala de estar, três quartos – um com banheiro, banheiro social, cozinha ampla – para receber os outros filhos e famílias para o almoço do domingo, lavanderia e uma pequena varanda.


Planta Baixa - Residencia D. Olinda.


Detalhe 1: Quarto da filha - com banheiro, banheiro social e quarto dos netos.




Detalhe 2: Cozinha e lavanderia.



Na outra edificação, a família de Everaldo precisava de ambiente de estar, cozinha conjugada com lavanderia, um quarto para o casal e outro para as filhas e o banheiro de uso comum.

Planta Baixa - Residencia Everaldo e Bruna.

Detalhe 3 - Casa de Everaldo e Bruna, cozinha e estar.

Alguns fatores nortearam este projeto, além das necessidades apresentadas pelos clientes:

• O tamanho do terreno,
• As exigências do plano diretor – que nesta região exigia que a ocupação não ultrapassasse 50% do lote,
• A declividade natural do terreno e
• A necessidade de privacidade para as duas famílias – elas precisariam conviver sem limitar seus próprios direitos.

O resultado deste trabalho constitui-se em um conjunto harmônico de duas edificações de padrão médio, com espaço para suas necessidades e uma área livre que garante a drenagem natural.

De tudo, o que sentimos falta no final foi da presença do Sr Timóteo, para ajudar a executar esse sonho e, sobretudo, usufruir dele. Saudades eternas, meu sogro!

Outros projetos:

Ana Cunha Araújo

quarta-feira, 19 de maio de 2010

HISTÓRIA DO PLANEJAMENTO URBANO

Historia do planejamento urbano


Até o final do séc XIX, o planejamento urbano era de responsabilidade de arquitetos. Mas o crescimento dos problemas urbanos forçou muitos países a participarem mais ativamente no processo de planejamento urbano.

Em nosso país o Planejamento Urbano foi pautado em instrumentos urbanísticos, tendo nos Planos Diretores e Leis de Uso e Ocupação do Solo seus representantes mais pragmáticos.
Contudo, muitos desses planos não enfrentaram as questões sociais.

O foco do planejamento deslocou-se do regulamento do uso e ocupação do solo para o tratamento dos processos especulativos de produção do espaço urbano. Surge a idéia de planejamento urbano participativo, onde o profissional não é mais o "autor do plano", mas o "condutor do processo".

Segundo o site Urbanidades,

O planejamento surgiu como uma resposta aos problemas enfrentados pelas cidades, tanto aqueles não resolvidos pelo urbanismo moderno quanto aqueles causados por ele. A expressão “planejamento urbano” vem da Inglaterra e dos Estados Unidos, e marca uma mudança na forma de encarar a cidade e seus problemas.

Uma modificação importante refere-se ao reconhecimento do fenômeno urbano como algo dinâmico, o que leva a encarar a cidade como resultado de sua própria história e como algo que está, de alguma maneira, evoluindo no tempo. Portanto, a cidade passa a ser vista como o produto de um determinado contexto histórico, e não mais como um modelo ideal a ser concebido pelos urbanistas (KOHLSDORF, 1985).

É nesse contexto que o Urbanismo passa a ser visto como uma ciência que trata problemas que crescem em uma velocidade muito maior do que a taxa de crescimento das cidades.

Ana Cunha Araújo


Saiba mais:

terça-feira, 20 de abril de 2010

ALEGRIA COM LIBERDADE - Projeto Arquitetonico de Residencia Unifamiliar

Vista superior - Fachada Principal
Projeto: Ana Cunha Araújo

Este deve ser o lema para um casal apaixonado pela natureza e preocupado com a sustentabilidade, que decidiu partir para o projeto de sua residência.

Em um tempo em que se preza pelo verde e ainda pela qualidade de vida, o casal de clientes pretendia ter uma casa que fosse também um refúgio para sua família, parentes distantes e amigos.

O programa da casa inclui além dos ambientes internos - suíte do casal, quartos para os filhos, escritório, sala de estar e cozinha – e ambientes externos como lavanderia, lavabo, oficina, canil – carinhosamente chamado pelo proprietário por “apartamentos dos cães”. Por fim, o espaço mais privilegiado e certamente o que será mais utilizado por todos: a área de lazer – com área coberta onde abriga uma churrasqueira, deck, pergolado e a tão esperada piscina.


Planta Baixa



Vista da Área de Lazer


ALGUMAS PECULIARIDADES:
O casal apaixonado por natureza queria que a ocupação do terreno deixasse uma área considerável disponível para o deleite com a natureza – uma vez edificada, a intenção é ter espaço para o plantio de alguma vegetação além de folga para a prática de vôlei com os amigos.


Vista Aérea - mostrando área disponível no terreno.

O banheiro do casal deveria garantir a privacidade dos dois, ao mesmo tempo em que, da banheira fosse possível ter uma boa visão do exterior da casa.

Fachada Lateral - mostrando janelas do banheiro voltadas para área livre.


Os aparelhos de ar-condicionado – existentes nos quartos e escritório – deveriam ser camuflados.


Detalhe de elemento que camufla os condicionadores de ar.


O lavabo deveria estar em posição estratégica, próximo à área de lazer, lavanderia e oficina.

Pormenor da Planta Baixa - mostrando Lavabo e acesso lateral para Área de Lazer.


Os amigos deveriam ter acesso à área de lazer sem ter que obrigatoriamente passar por dentro da casa.


A casa será toda contornada com deck produzido com pranchas de madeira, sendo que na área de lazer ele será a moldura da piscina e abrigará um pergolado – criando espaço agradável para relaxar e tomar sol.

www.youtube.com/watch?v=ZZ2T8jAUm5Y




video

Ana Cunha Araújo

terça-feira, 16 de março de 2010

PEQUENOS GRANDES ESPAÇOS

Figura 01 - Vista Superior. Fonte: Ana Cunha Araújo

Vivemos um tempo no qual as famílias estao ficando cada vez menores e optando por habitar em espacos mais e mais reduzidos. Mas isso nao precisa significar perda da qualidade de vida.

Planta Baixa

O projeto Casa Sophia é uma residencia integrada em um condomínio horizontal. Inicialmente, o programa desta habitação era composto por sala de estar, quarto, cozinha e banheiro, sendo que estes últimos não contavam com abertura para ventilação.

Figura 02 - Vista da bancada que divide sala de jantar da cozinha

Depois de resolvida a demanda da cozinha e do banheiro - no que diz respeito a abertura de janelas e criação de área de serviço, a necessidade da família era de que também fosse criado dentro desse universo, um segundo quarto - para uma criança.

Quarto de menina - Projeto: Ana Cunha Araújo

Quarto de menina. Fonte: Auriene Cardozo

Uma das exigências apresentadas pelos clientes era que este novo ambiente fosse integrado ao quarto de adultos, pois desta forma o cuidado com a filha seria mais tranquilo.

Corte esquemático

O zêlo da profissional foi no sentido de atender ao novo programa e ainda proporcionar ventilacao cruzada - garantida pelas janelas dos quartos e sala, somadas ao poço de ventilação aberto em parte do que antes era a cozinha.

A Casa Sophia, além de ter sido um desafio vencido pela arquiteta, superou as expectativas dos moradores e agradou muito a vizinhanca.

www.youtube.com/watch?v=9jL_5b00Wmk



videohttp://http//www.youtube.com/watch?v=9jL_5b00Wmk

Ana Cunha Araújo

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

PLANEJAMENTO URBANO e URBANISMO

Tanto o planejamento urbano quanto o urbanismo são entendidos como o estudo do fenônemo urbano, mas diferem no tocante às formas de atuação no espaço urbano.

  • Urbanismo – trabalha com o desenho urbano e o projeto das cidades, em termos genéricos.
  • Planejamento Urbano – antes de agir diretamente no ordenamento físico das cidades, trabalha com os processos que a constroem.

Os limites entre o planejamento e o urbanismo na prática, não são claros:

  • Intervenções urbanísticas são vistas como "obras de planejamento“.
  • Atividades típicas do planejamento – como a criação de um plano diretor, são tratadas como "obras de urbanismo".



Saiba mais:

 
BlogBlogs.Com.Br